29 novembro, 2010

Inauguração de eclusas do rio Tocantins no Pará [Portal Ig - Último segundo]

O presidente Luís Inácio Lula da Silva marcou para o próximo dia 30 [de novembro] a inauguração das eclusas do rio Tocantins. As obras permitem corrigir o desnível criado pela hidrelétrica de Tucuruí e devolve a navegabilidade entre os rios Tocantins e Araguaia. O projeto teve início na década de 1980, mas só agora foi concluído.
A hidrovia Araguaia-Tocantins vai facilitar o escoamento da produção no estado e deve atender principalmente ao distrito industrial de Marabá, no Sudeste do Pará, ainda em fase de construção. As eclusas permitem o deslocamento de barcos de grande porte em trechos até então considerados intrafegáveis no rio Tocantins.
A inauguração das eclusas estava agendada para o início deste mês, mas precisou ser adiada em decorrência de outros compromissos do presidente Lula. Caso a cerimônia ocorra de fato no dia 30, Lula estará cumprindo uma das obras mais prometidas e adiadas do estado, que fez parte inclusive de sua plataforma de campanha ainda nas eleições de 2002.

Fonte: Portal Ig - Último segundo; disponível em http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/lula+inaugura+eclusas+do+rio+tocantins+no+para/n1237840076090.html ; acesso em 29/11/2010.

Nota: Uma obra impressionante, que vence um desnível de 74 metros que impedia o tráfego no rio. No Google estão disponíveis várias fotos do empreendimento; basta procurar por "eclusas de tucuruí". Informações complementares podem ser acessadas no site da Agência T1, em http://www.agenciat1.com.br/3631-comecam-testes-na-eclusa-1-e-no-canal-intermediario-em-tucurui-em-fase-de-conclusao/ .

28 novembro, 2010

Brasil pode integrar trilhos na América do Sul [Portal Webtranspo]

A ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) divulgou, nesta semana, que uma série de medidas sendo tomada para viabilizar a integração ferroviária entre o Brasil e os países vizinhos, como a Argentina.
Após encontro com empresários brasileiros e argentinos, em Buenos Aires, Maria Luisa Leal, diretora da entidade, informou que "a Argentina tem ações concretas para revitalizar e fortalecer o setor ferroviário, capacidade produtiva, conhecimento setorial e um marco regulatório que favorece a área”.
A reunião serviu também para demonstrar a metologia utilizada pelo Brasil para efetivar a integração produtiva com o país, em todos os setores, que obedece a dez passos. Entre eles estão reuniões preliminares com as empresas, instituições e representantes dos governos dos dois países interessadas em fazer negócios.
No caso do Brasil, essas instituições são o BNDES, Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. No setor de autopeças, já ocorreu uma reunião em agosto no Brasil, e outra está marcada para fevereiro, para um novo passo em relação a projetos do setor.
Para o setor de máquinas agrícolas dos dois países está marcada uma reunião, no mês que vem em Porto Alegre (RS). Na área de lácteos e derivados, será realizado encontro em dezembro, também na capital do Rio Grande do Sul. Já no setor aeronáutico, há um compromisso para iniciar contatos no sentido de identificar oportunidades concretas de integração.

Fonte: Portal Webtranspo; disponível em http://www.webtranspo.com.br/ferroviario/20422-brasil-pode-integrar-ferrovias-com-vizinhos-?utm_source=Zartana&utm_medium=emailmarketing&utm_campaign=News+n+722&utm_content=israel_grudtner%40hotmail.com&utm_term=20422 ; acesso em 21/11/2010.

Nota: Trata-se de um projeto complexo, mas que pode ser significativo para elevar a participação do modal ferroviário na matriz de transportes do Brasil.

21 novembro, 2010

"Contribuição" da logística nos resultados do Carrefour no Brasil

As práticas de logística de muitas das grandes redes de supermercados são consideradas como exemplo para outros setores da economia. Inclusive, o varejo tem destacada participação na associação ECR Brasil. Porém, nem mesmo o desenvolvimento dos processos e a constante evolução tecnológica impede completamente a ocorrência e falhas, ou seja, ainda existe bastante a ser feito.
A edição da revista Exame de 03 de novembro de 2010 traz uma reportagem intitulada "A mágica acabou" que trata da descoberta de uma inconsistência de R$420 milhões nos resultados da operação brasileira do Carrefour. A mesma reportagem fala de alterações no comando da empresa e algumas das ações adotadas por esta nova liderança; desta transcrevo uma parte: "Sob essa nova estrutura, Fazzio [diretor superintendente do Carrefour no Brasil] começou a passar um pente-fino na operação. Seu alvo principal até agora tem sido as ineficiências logísticas, que ficaram claras nas recorrentes perdas de estoque nos últimos meses. Enquanto os centros de distribuição ficavam abarrotados de produtos que chegavam a estragar, parte das gôndolas dos supermercados permanecia vazia. O desajuste se devia-se a má comunicação entre a sede e os gerentes das lojas, que até alguns anos atrás atuavam de maneira independente. 'Os gerentes ainda mantêm algumas algumas decisões sobre compras e não se entendem com os centros de distribuição", diz um consultor especializado em varejo. 'O resultado é um índice de falta de produtos nas prateleiras que chega a ser o dobro do dos concorrentes'. Em setembro, o executivo Luis Ricardo Pedro, ex-Bertin e Pão de Açúcar, foi contratado como diretor de logística, no lugar de Túlio Bolzoni."

Referências: A Mágica Acabou; Revista Exame, edição de 03/11/2010.

18 novembro, 2010

Armazenagem - TV Logística [UFSJ]

Programa do Canal TV Logística, desenvolvido pelos alunos do 4o. período do curso de Administração Integral da UFSJ.

07 novembro, 2010

Mesa-redonda reúne entidades para abordar propósito do PELT 2020 [CREANet - CREA-PR]

As reuniões de Câmaras, Comissões e Grupos de Trabalho promovidas em paralelo ao II Encontro Estadual de Comissões de Ética, colocarão em pauta às 10h de segunda [08/11] o PELT 2020 - Plano Estadual de Logística e Transporte, elaborado pelo CREA-PR, FIEP, Instituto de Engenharia do Paraná e o Sindicato da Construção Pesada do Estado do Paraná (SICEPOT-PR). O tema será o centro de uma mesa redonda dirigida pelo coordenador do GT Transportes, engenheiro Paulo Nascimento, com a presença confirmada do presidente do SICEPOT, Sérgio Piccineli, dos engenheiros Otavio Rocha, Osmar Lopes Ferreira e Sérgio Luzi Ferrari (da Associação dos Engenheiros do DER – AEDER), representantes da Fetranspar e da APEOP-Associação Paranaense dos Empresários de Obras Públicas e conselheiros do CREA-PR.
O PELT 2020 é um diagnóstico completo da infraestrutura e logística no Paraná nos setores de rodovias, ferrovias, portos e rios navegáveis e aeroportos, cujo planejamento deve buscar ações imediatas para solucionar as deficiências nos modais de transporte. Sua formulação traz em um único documento as intervenções e obras de infraestrutura de logística consideradas importantes e estratégicas para o desenvolvimento do Paraná.

Fonte: Boletim CREANet - CREA-PR.

02 novembro, 2010

Logística eficiente pode alavancar PMEs [Portal Webtranspo]

É em um cenário de recuperação da economia global que as PMEs (pequenas e médias empresas) buscam crescer no mercado. Uma das premissas para alcançar este objetivo é manter um estoque mínimo e cumprir os prazos de entrega, conforme aponta o CLRB (Conselho de Logística Reversa do Brasil). De acordo com o conselho, uma das alternativas das PMEs é firmar parcerias estratégicas com empresas especializadas, conhecidas por operadores logísticos, e assim garantir o aumento do faturamento e a lucratividade.
Desta forma, o empresário ganha tempo para se dedicar às questões estratégicas e não se arrisca em áreas secundárias. O crescimento das pequenas e médias empresas também ganha respaldo no desenvolvimento do comércio no mundo virtual (B2C).
Segundo dados do e-bit, empresa especializada em informações de e-commerce, na última comemoração do Dia das Mães, a segunda data mais importante em faturamento para o varejo, depois do Natal, os pedidos em lojas virtuais e de vendas registraram R$ 625 milhões – volume 42% superior aos R$ 440 milhões registrados na mesma ocasião em 2009.
O CLRB também aponta que a logística reversa tem ganhado força no mercado brasileiro e desponta como boa oportunidade para as PMEs. O conselho afirma que, em média, 10% dos produtos vendidos no Brasil – novos e usados – retornam para as empresas; e esse percentual tende a crescer com o aumento do índice de consumo e número de produtos disponíveis no mercado.
Conforme dados do Reverse Logistics Association, os processos na área de logística reversa em diversos países chegam a representar de 3% a 25% de seus PIBs. Nos Estados Unidos, a estimativa de movimento chega a US$ 360 bilhões por ano, no mínimo, segundo a entidade.
Não por acaso, o PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) destinará R$ 104,5 bilhões para o segmento de infraestrutura de transporte e logística, entre 2011 e 2014.

Fonte: Portal Webtranspo; disponível em http://www.webtranspo.com.br/logistica/20061-logistica-eficiente-pode-alavancar-pmes; acesso em 19/10/2010.