30 setembro, 2009

Volvo e Sadia criam caminhão para atender demanda do setor frigorífico

Para adaptar a frota aos novos limites de dimensões e pesos definidos pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito), em 2007, a Volvo do Brasil, a Sadia e fabricantes de implementos elaboraram um projeto para aumentar a capacidade de carga nos caminhões que transportam produtos frigorificados. O resultado da união foi uma composição, batizado de “Vanderléia frigorífica”, que por meio do uso de materiais mais leves, o desenvolvimento de um chassi mais curto e a adequação da transmissão, possui capacidade para transportar até 30 pallets ou 33,5 toneladas de produtos.
Estes volumes, segundo a fabricante, representam de dois a quatro pallest a mais que os movimentados pelos modelos substituídos, e cinco toneladas acima do volume que uma composição frigorífica convencional transporta.
Luciano Farago, Engenheiro do centro de inovação e excelência logística da Sadia, garante que este desempenho foi obtido mantendo a mesma durabilidade e resistência. “Com esta nova composição, resolvemos o problema de veículos que poderiam ultrapassar o peso permitido pela legislação. Também diminuímos o número de composições rodando, aumentando a capacidade individual de transporte”, detalha.
Segundo Deonir Gasperin, Engenheiro de vendas da Volvo, os resultados positivos do novo produto foram obtidos com a diminuição do entre-eixos (a distância entre o eixo dianteiro e o eixo de tração) do cavalo mecânico, que passou dos usuais 3,5 ou 3,7 metros para apenas três metros.
“Com um entre-eixos menor, conseguimos a correta distribuição de cargas do caminhão conectado ao baú frigorificado de 15,5 metros, dentro dos atuais limites legais, o que permitiu aumentar o número de pallets que podem ser transportados”, observa.
Além disso, a montadora introduziu novos tanques de combustível customizados para atingir a mesma capacidade de armazenamento dos veículos convencionais.
De acordo com Rogério Kowalski, Gerente de grandes frotas da empresa, os transportadores Sadia já adquiriram 28 caminhões Volvo FH 6x2 com este entre-eixos que estão sendo atrelados em composições deste tipo. Segundo ele, a meta é atingir 81 unidades com esta aplicação.


Fonte: Portal Webtranspo. Disponível em: http://www.webtranspo.com.br/modais/rodoviario/12317-volvo-e-sadia-apresentam-implemento-para-atender-setor-frigorifico.html?utm_source=Zartana&utm_medium=emailmarketing&utm_campaign=News+n%BA+446&utm_content=null+israel_grudtner%40hotmail.com&utm_term=12317 . Acesso em 30/09/2009.

Nota: Um exemplo muito interessante de integração fornecedor-usuário.

07 setembro, 2009

Portal Webtranspo: Multilog anuncia novos investimentos em Itajaí

Empresa, em uma visão otimista, anunciou investimentos de R$ 20 milhões em infraestrutura.

“Depois das ordens e contra-ordens sobre a recuperação do porto, finalmente agora tem cronograma mais certo e esperamos que voltem ao normal”.A observação é de Ailtro Darigna, diretor financeiro da Multilog (Grupo Portobello), sobre o Porto de Itajaí (SC). A empresa, numa posição de otimismo, anunciou investimentos da ordem de R$ 20 milhões em infraestrutura.
A Multilog tem como foco a retroárea (porto seco) e ocupa uma área alfandegada de 331 mil metros e área total de 436,4 mil metros quadrados, em Itajaí. Com os investimentos, a empresa vai ampliar sua área de armazenagem coberta para 116 mil metros quadrados, elevando a capacidade de armazenagem em 40 mil metros quadrados. Os recursos começaram a ser aplicados em julho deste ano e seguirão até junho de 2010. Além do aumento da área, os investimentos envolvem a compra de 15 novas empilhadeiras, orçadas em cerca de R$ 8 milhões.
De acordo com Darigna, mesmo com os problemas que o Porto de Itajaí enfrenta, depois da catástrofe das chuvas, a empresa acredita no potencial econômico e no crescimento da atividade portuária na cidade.
Outro ponto é a crise econômica mundial. “A crise efetivamente impactou nos volumes de contêineres movimentados. Mas a decisão de retomar os investimentos decorre da visão de que os mercados internacionais logo voltarão às atividades normais e temos que estar prontos para atender a demanda”.Com foco no comércio internacional do sul do País, a Multilog tem entre 70% a 80% das suas atividades voltadas para as importações (Ásia, Europa e EUA). As exportações ficam entre 20% a 30% em carga geral: pneus, componentes e suprimento de informática, etc.

Fonte: Portal Webtranspo, disponível em http://www.webtranspo.com.br/modais/logistica/11192-multilog-anuncia-novos-investimentos-em-itajai.html