27 abril, 2012

Pesquisa sobre logística busca soluções para o desenvolvimento do setor [Portal Logweb]

Embarcadores, transportadores, operadores, seguradoras e consultorias que trabalham com o setor de logística podem contribuir com o desenvolvimento do setor. A Associação Brasileira de Logística (Abralog) deu início a uma pesquisa junto aos profissionais do ramo com o objetivo de atingir soluções sustentáveis e integradas à realidade brasileira.
O foco do levantamento é a Gestão de Risco em Suplly Chain (cadeia de abastecimento). A demanda surgiu a partir de discussões no Fórum “Visão Integrada de Risco na Cadeia Logística: é possível?”. O evento foi realizado em São Paulo, no mês de março.
Os interessados em participar encontram o questionário no site da associação (www.aslog.org.br) e nos perfis oficiais da entidade no Twitter e no Facebook. Ao término da pesquisa, será gerado relatório para divulgação nacional dos dados coletados.
O questionário também pode ser enviado para juliana.carminati@abralog.org.br.
Agência CNT de Notícias

Fonte: Portal Logweb; disponível em http://www.logweb.com.br/novo/conteudo/noticia/29096/pesquisa-sobre-logistica-busca-solucoes-para-o-desenvolvimento-do-setor ; acesso em 27/04/2012.

Carrinhos de compras podem se aposentar graças à tecnologia QR Code [Portal Newtrade]

Uma rede de supermercados recém-inaugurada em Seul, na Coreia do Sul, resolveu dar fim aos carrinhos ou sacolas de compra. A loja usa a tecnologia QR Code para vender seus produtos, e os clientes só precisam apontar seus telefones aos produtos para fazer a compra, colocar os itens em um carrinho virtual e esperar a entrega no endereço escolhido. Localizado na estação de metrô de Seoulleung, o novo supermercado oferece uma prateleira com aproximadamente 500 produtos virtuais.A ideia da loja, uma filial da rede Tesco montada em parceria com a Homeplus (sócia da Samsung); também agradou redes de outros países.
A britânica Ocado e a australiana Woolworth´s, por exemplo, abriram lojas virtuais temporárias sob o mesmo conceito, em um shopping center de Londres e na estação de Town Hall, em Sydney, respectivamente.
Aqui no Brasil, o Grupo Pão de Açúcar anunciou recentemente que está interessado nesta tecnologia. Em um comunicado, o vice-presidente executivo do grupo, Hugo Bethlem, afirmou que algumas lojas da rede já estão iniciando os testes com pagamentos via celular. Este projeto foi desenvolvido em parceria com o banco Itaú e, num primeiro momento, apenas os clientes Itaucard testarão o sistema.

TechTudo - globo.com

Fonte: Portal Newtrade; disponível em http://www.newtrade.com.br/noticia/carrinhos-de-compras-podem-se-aposentar-gracas-a-tecnologia-qr-code ; acesso em 27/04/2012.

13 abril, 2012

Mastro do Groupama chega a Itajaí com esquema especial de logística - Volvo Ocean Race [Diário Catarinense]

Já está em Itajaí o mastro do veleiro francês Groupama, segundo colocado na classificação geral da Volvo Ocean Race. A operação para trazer a peça até a Vila da Regata foi um dos maiores desafios de logística das últimas edições da Regata de Volta ao Mundo e, depois de quatro dias, foi concluída nesta quinta-feira. A chegada do equipamento a Santa Catarina mobilizou mais de 30 profissionais no Aeroporto de Curitiba e recebeu a escolta das polícias Federal e Rodoviária no caminho até a cidade-sede do maior evento náutico do mundo.
A peça de 32 metros saiu de Roterdã, na Holanda, e foi inserida pelo bico do avião cargueiro. Após aterrissar na capital paranaense, precisou de três horas para ser colocada em um caminhão antes de pegar a BR-101. Batedores e controladores de tráfego ajudaram a coordenar o trânsito até a chegada à Vila da Regata, na viagem que durou cinco horas. As empresas de logística DHL e Wave Log, parceiras da regata de volta ao mundo, coordenaram o trabalho.
O Groupama perdeu o mastro no fim do percurso entre Nova Zelândia e Brasil, quando liderava a quinta perna de Auckland até Itajaí. O veleiro francês sofreu a avaria próximo ao litoral do Uruguai, parou em Punta del Este para fazer um material improvisado e chegou em Santa Catarina em terceiro lugar, apesar da quebra.
— O trabalho será concluído em dois dias, apesar da necessidade de muita atenção durante a instalação. É um mastro de primeira linha, mas não há segredos. Depois de colocar no seu devido lugar, precisamos testar. A nossa sorte é que temos tempo até a regata do porto. O transporte foi muito tranquilo e nos deu segurança — relata Ben Wright, chefe da equipe de terra do Groupama.
A peça fundamental do barco será instalada pela equipe de terra francesa nos próximos dias e terá também o acompanhamento do brasileiro Ricardo Ermel.
— O primeiro desafio foi fazer esse transporte. Agora precisamos terminar o check list para que nada dê errado. O trabalho não é tão complicado, mas exige atenção.

Logística
A DHL Express é a responsável pelo transporte, ao longo da corrida, de mais de 25 toneladas de materiais e contêineres, dando todo o suporte logístico e emergencial para os barcos e participantes da competição por meio de sua frota aérea, marítima e terrestre. São mais de 45.000 quilômetros percorridos.
— Toda a regata é monitorada pela DHL anualmente a partir do Centro de Controle Internacional criado pela companhia especialmente para a Volvo Ocean Race, o que facilita o trabalho de nossa equipe e o apoio à todos os participantes - afirma Reinier Vens, Diretor de Projetos Volvo Ocean Race — DHL Global Forwarding.
Foi elaborada uma estratégia para atender imprevistos o mais rápido possível. No caso do Groupama, a operação foi facilitada, já que havia um depósito de peças de reposição no aeroporto de Roterdã, que fica em uma posição central na Europa, com voos disponíveis para todos os países participantes da regata, para o transporte dos equipamentos.


Nota: Assim como já apresentamos em posts anteriores, quando mostramos a logística da Fórmula 1, o sucesso de grandes eventos esportivos depende da elaboração e execução de estratégias logísticas adequadas.

03 abril, 2012

Terceirização amplia setor de logística [Portal Webtranspo]

Os empresários do setor de logística estão otimistas com o crescimento previsto para 2012. A estimativa é de um faturamento de quase R$ 450 bilhões, valor acima da média anual de R$ 400 bilhões. O aumento da terceirização dos serviços logísticos é apontado como o grande responsável pelo bom momento vivido no segmento.
“As empresas estão identificando a possibilidade de se concentrar mais em seus negócios e passaram a terceirizar serviços como armazenagem, estoque, planejamento de demanda e processamento de pedidos. Isso gera oportunidade de negócios para quem é especializado nessa área”, diz Adalberto Panzan, vice-presidente de Sustentabilidade da Abralog (Associação Brasileira de Logística).
Para o executivo, as transportadoras são as que mais investem para oferecer serviços de logística a outras empresas. “Elas agregam, por exemplo, serviço de armazenagem ao seu portfólio. Não realizam apenas o transporte rodoviário de cargas, complementam com outras atividades para os clientes, como centros de distribuição avançados”, afirma Panzan.
Outro destaque é o setor de logística reversa, que trata do controle do fluxo de resíduos no pós-consumo, com o objetivo de dar uma destinação correta aos produtos descartados. Neste ramo, só os negócios da área de resíduos eletrônicos devem ter alta de 20% em 2012.
“A logística reversa cresce por causa da simplificação dos processos e pela introdução de meios eletrônicos fiscais, quando as transações passam a ser feitas com menos burocracia. Mais compras são feitas e mais produtos são devolvidos”, conta Panzan.
Apesar do crescimento previsto para o ano, um entrave para um progresso ainda maior é a questão dos impostos. Isso porque o recolhimento das taxas ocorre antes do recebimento pelo serviço prestado, o que impacta o fluxo de caixa das empresas.
“Somos contratados para prestar o serviço, mas ele não é pago à vista. Se o empresário não tiver reserva de caixa, liquidez, capital próprio, corre o risco de ter que recorrer ao cheque especial e pagar juros, porque é obrigado a pagar os impostos”, explica Panzan.
Fonte: Portal Webtranspo; disponível em http://www.webtranspo.com.br/logistica/24659-terceirizacao-amplia-setor-de-logistica ; acesso em 01/04/2012.