17 outubro, 2012

Medição das emissões nas cadeias de suprimentos [APICS]

Empresas procuram reduzir os riscos e maximizar as oportunidades em suas cadeias de fornecimento globais. A correspondente da Forbes, Manish Bapna, escreve que grandes empresas multinacionais, incluindo a Honda, a BASF e a SAP estão aproveitando a medição de gases de efeito estufa em toda sua cadeia de valor, não apenas para promover o meio ambiente, mas porque é bom para a sua reputação, seus perfis de risco e identificaçãco de oportunidades para inovação.
Muitas outras multinacionais seguem por esse caminho. Segundo uma pesquisa do Carbon Disclosure Project, 70 por cento das maiores empresas globais mediu as emissões da cadeia de valor em 2011, contra cerca de 50 por cento em 2010. Um motivador para este comportamento é demanda dos clientes. Clientes de varejo e corporativos exigem, cada vez mais, evidências de que os fabricantes  aplicam os princípios de sustentabilidade para os produtos que produzem, assim como suas cadeias de suprimentos.
Ao examinar os impactos ambientais em fornecedores, as empresas também aumentam a sua consciência do potencial de riscos ambientais, incluindo a escassez de água e mudanças climáticas. Mais de quatro quintos dos entrevistados indicaram que as alterações climáticas representam um risco real para a empresa, com 37 por cento considerando-o um "perigo real e presente".
Finalmente, a medição das emissões da cadeia de valor pode levar a aumentos de eficiência e redução de custos. Adotar uma consciência de sustentabilidade para a cadeia de suprimentos ajuda concentrar esforços para melhorar o design de produtos e para outras oportunidades de inovação.

Fonte: e-news APICS, vol. 12, n. 20, 16/10/2012. [Tradução do blog]

Nenhum comentário: